Texto: O abismo - cafona - do amor.

11.4.16

Advinha só quem voltou a se perder em pensamentos malucos durante a madrugada? Quem voltou a perder o sono por ser aquela pessoa maluca que pensa demais, e que o sono consegue faze-la parar de pensar? Pois é, aqui estou eu em mais um desses meus desabafos matinais, em mais uma dessas minhas histórias malucas que me tiram o sono.

Algumas pessoas no mundo sofrem por não conseguirem amar alguém, ou por estarem sempre a procura de outra pessoa para completa-las, eu tenho um problema com isso, na verdade é o um problema com o oposto disso tudo, eu tenho mesmo é o problema de amar, amar de mais, e em muitos desses casos, o problema é que eu amo sozinho.

Pratiquei por tanto tempo essa coisa de me amar, me sentir bem o suficiente para então completar outra pessoa, e mesmo assim eu continuo aqui me fazendo de aventureiro e me jogando de cabeça em mais um desses penhascos assustadores do amor. Estou me perdendo novamente em um par de olhos castanhos, e me encantando ainda mais em uma voz sonoramente encantadora.

Estou mesmo me jogando de cabeça nesse abismo que não se conhece o fundo, eu posso dessa vez cair em um lugar lindo e maravilhoso, bem aconchegante, como posso também me quebrar inteiro como tantas vezes já me aconteceu, ou posso simplesmente viver nessa queda livre, essa que me dá um frio na barriga toda manhã, e que me faz sorrir todas as noites quando me deito e agradeço por hoje não ter sido o dia do ato final.

Estou me apaixonando, estou sentindo esse sentimento crescer aqui, sinto que estou indo rápido, sinto que estou correndo, tenho completa noção do que está me acontecendo, e estou assustado por saber o que estou fazendo e mesmo assim não conseguir frear, ou pelo menos ir em uma velocidade ainda mais reduzida.

Ah, quanta besteira! Afinal qual a graça do amor se ele não fosse assim, esse abismo sem fim, essa queda livre 24 horas por dia? Não seria tão gostoso, e na verdade não se chamaria amor. Sou um eterno apaixonado sim, sou cafona mesmo, e amo, amo com todo o meu coração, não sou do tipo que esconde o que sente, só não sou do tipo que recebe tudo isso de volta.

Talvez goste disso

0 Comentários

Google+