Texto: Talvez, talvez, talvez!

3.1.15

Talvez seja só isso, talvez eu seja o tipo de pessoa que precisa de muito. Muito amor, muita paciência, muita intensidade. Talvez eu não consiga viver com pouco. Talvez eu não consiga ser pouco. E tudo volta ao meu problema com meio termo. Porque eu não consigo aceitar nada morno ? Ou me queima, ou congela, mas por favor, não seja mais ou menos. 

Nunca vai ser fácil pra alguém passar um dia se quer comigo, tem tantos problemas que eu tenho, tem todos os problemas que eu crio. E eu sou tão jovem pra passar por isso, e eu sou tão velha pra passar por cima. E droga, eu tenho que resolver! Mas e se tudo isso for coisa da minha cabeça? Será que eu sou realmente louca, ou as pessoas só dizem isso porque não me entendem?

Mas que culpa o mundo tem de eu não entender 99% dele? São tantas perguntas, alguém por favor  explica que eu não posso responder, porque eu simplesmente não tenho as respostas! Não! Eu não quero ir devagar, não quero ter paciência, não quero esperar. Não sou obrigada a seguir o relógio das pessoas. Eu sou diferente, por favor, aceitem isso, ou só me deixem sozinha. 

Eu escuto música, onde só há businas. Enxergo beleza, mas são só prédios. E eu continuo não entendo porque observo tanto as coisas, a ponto de tudo mexer comigo. Me dizem pra não chorar, me dizem como me comportar, e me acusam de ser fraca. Mas eu só peço que me deixem ser o que eu sou, ou saiam de uma vez da minha vida. Eu sou só isso, ou eu sou só tudo isso. Mas eu nunca vou ser como as pessoas querem. 


Talvez goste disso

0 Comentários

Google+