Texto: A culpa é das lembranças

23.1.15

Acabou. Sim, acabou. Mas por que eu não entendo isso? Já se passaram quantos anos, 2, quase três? E por que eu ainda acordo sentindo seu perfume? Por que você me machuca tanto, só por falar comigo? Por que você não some? Essa é única pergunta da qual eu tenho a resposta: Você não some, por que eu não deixo. Eu tenho muito medo de você ir embora para sempre, e levar o pouco que restou de bom no meu coração. Você me assusta. Logo eu, que sempre grito aos quatro cantos, que não tenho medo de nada, morro de medo de ver você na minha frente de novo.

Meu Deus, até quando eu vou sofrer tanto com essas lembranças ridículas? Foi você quem me deixou, e por que eu me sinto tão culpada? Você foi embora, seguiu sua vida, pensou no seu futuro, em sua família, em tudo, menos em mim. Eu sei que as vezes o amor não é suficiente, e que a estrada fica difícil, mas você tem que me fazer sentir como se não restasse nada de mim? Você deveria sumir, não ligar, não falar comigo, de preferência não existir. Ou talvez, eu não deveria atender, responder, e não deixar você fazer com que eu me sinta a pior pessoa do universo, por não conseguir te esquecer.

Acredito que cada um não tenha o que mereça, tenha o que procura. Pois bem, eu provavelmente procurei isso. Basta uma mensagem, para que eu abra um sorriso, meu coração pule pela boca, e sinta meu estomago cheio de borboletas. Ah, qual é, eu nem tenho mais idade para isso. Eu tenho 21 anos, e continuo agindo como a garota que você conheceu com 13. Odeio admitir o quanto você é especial, mas essas coisas só acontecem com você. Acho que estou pagando, por ter feito os outros garotos de idiota. Se bem que, não. Não tem condições de eu ter feito alguém passar, pela metade do que eu passo. Não mesmo, eu tenho consideração pelas pessoas demais para isso, coisa que você não sabe nem o significado.


Talvez goste disso

0 Comentários

Google+